TEMPS D'IMAGES 2011
27 OUT > 26 NOV
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
       
 
 
ricardo jacinto e beatriz cantinho
EYE HEIGHT
   
 

EYE HEIGHT é um espectáculo onde um dispositivo, que é simultaneamente cenário e instrumento, é palco para a criação coreográfica e musical. Este objecto comporta-se como uma caixa de ressonância, amplificando os sons provocados pela fricção e percussão de corpos que, movendo-se na horizontal, induzem a vibração de conjuntos de cordas colocadas no seu interior.
Colocados com a linha do olhar à altura do palco, os espectadores assistem a um discurso improvisado em que bailarinos e músicos constroem um manto visual e sonoro de impressão paisagística proporcionando uma experiência essencialmente sensorial e contemplativa.
A instalação presente no Museu do Chiado consiste num formato complementar de abordagem à vertente performance.
O formato instalação permite ao espectador aceder à obra numa dimensão centrada em absoluto na imagem. Na mesma, mantem-se a relação do olhar com o objecto e o ponto de fuga, acentuando o carácter imersivo do espectáculo.
Nos quatro diferentes planos apresentados, o plano exterior mima a experiência da performance de horizonte visual e paisagístico. Os planos interiores estabelecem uma relação de intimidade/comprometimento físico com o movimento dos bailarinos, requerendo do espectador uma constante adaptação perceptiva em relação às imagens síncronas filmadas de diferentes perspectivas.

 
Direcção Artística Beatriz Cantinho e Ricardo Jacinto | Bailarinos Ana Gouveia, Beatriz Cantinho, Filipe Jácome, Francesca Bertozzi | Músicos Nuno Torres (saxofone alto), Ricardo Jacinto (violoncelo) e Shiori Usui (voz) | Concepção Ricardo Jacinto | Projecto de Execução André Castro, Elysabeth Remelgado, Ricardo Jacinto | Construção Tomás Viana, Ricardo Jacinto, Nuno Torres | Vídeo Vasco Viana | Figurinos Mariana Sá Nogueira | Fotografia Daniel Malhão | Acompanhamento Técnico (Som) Pedro Magalhães | Produção Executiva Meninos Exemplares – Sara Morais | Parceria na Produção e Comunicação Vera Cortês Agência de Arte | Co-Produtores Colégio de Artes de Edimburgo, Fábrica da Pólvora – Centro de Experimentação Artística, TEMPO–Teatro Municipal de Portimão | Apoios Flamenco Society (Edimburgo), Vera Cortês Agência de Arte, Bomba Suicida, Teatro Praga, Máquina Agradável, Câmara Municipal de Lisboa, Fundição de Oeiras, Vende-se Filmes, IADE Creative University. | Este projecto é financiado pelo Ministério da Cultura/ Direcção Geral das Artes e Fundação Calouste Gulbenkian.