TEMPS D'IMAGES 2010
28 OUT > 21 NOV
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
     
 
 
andresa soares e ricardo jacinto
IN A REAR ROOM - Tributo
   
 

“(…) Os episódios mais violentos tinham início com deslocamentos do espaço que depois se transformavam em rotações da direita para a esquerda. Descobri que se inclinasse a cabeça de determinada maneira as rotações voltavam. Assim que voltava à posição normal diminuíam. Sons intensos e lugares agitados eram extremamente incómodos e tendencialmente agravavam os ataques. (…) Depois continuas a furar e entramos na casa. Separamos os homens das mulheres. Verificamos a identidade dos homens e seguimos para a próxima casa. Damos doces às crianças e se estiverem com fome ainda oferecemos latas de atum. Levávamos doces junto com o nosso equipamento. (…) Se ele está nervoso e uma porta demora mais de trinta segundos a abrir, teremos de a fazer explodir. (…) A minha perspectiva disso é como se vivesse com uma bomba relógio que tem um cronómetro que gera um padrão numérico aleatório, nunca se sabe quando irá explodir. (…) Se não fossem muito fortes conseguia andar até à fonte para tomar o comprimido. Andar era difícil e eu utilizava a parede para me equilibrar. Nestas alturas a cada passo que dava não tinha a certeza onde estava o chão. Parecia-me sempre um pouco mais longe do que estava na realidade. (…) A primeira sessão foi muito divertida. Senti-me a levitar, a dois ou três metros da cama. As visões transformaram-se rapidamente numa chuva de padrões luminosos. Azul e verde eléctrico. Perguntei: “Estão cá outra vez?" " Não obtive resposta.“
Excertos de “cadernos”, Autor anónimo

 
Criação, Interpretação Andresa Soares e Ricardo Jacinto | Colaboradores Rui Antunes e Filipe Paula | Direcção Técnica Alexandre Costa | Produção Máquina Agradável / Ricardo Jacinto | Co-Produtores DuplaCena / Festival Temps d´Images | Residência Artística Devir-CAPA | Apoio Agência de Arte Vera Cortês