TEMPS D'IMAGES 2009
29 OUT > 22 NOV
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
   
 
   
 
 
inês jacques
LIARS
   
 

A identidade da imagem-movimento própria do cinema é aqui traduzida e recriada em composição coreográfica. Com música do projecto de João Branco Kyron "O Maquinista", Inês Jacques apresenta um espectáculo em que o movimento se materializa em lógicas de manipulação e edição importadas da sétima arte.
No seguimento de Renée Adorée, que trouxe as imagens dos primórdios do cinema para o corpo, esta peça aprofunda esta abordagem evidenciando a imagem-movimento como metalinguagem que reflecte os seus próprios mecanismos. Aqui, mantenho o objectivo da peça anterior: fazer “cinema ao vivo” recorrendo apenas ao movimento e a uma relação directa, relação essa que exige do público um estado de atenção dinâmica através do questionar da ficção, da linearidade, raccords verdadeiros e falsos, da narrativa; no fundo, o ponto de vista da mesa de montagem. Mantém-se a intenção da sensação de cinema através do uso das suas características: planos, tipos de montagem, noção de tempo e espaço, entre outras. Estas características estão, a meu ver, intimamente ligadas à composição coreográfica, tendo presente a ideia de que o movimento é uma imagem que continuamente se constrói e destrói a si mesma.

 
Direcção Artística, Coreografia e Espaço Cénico – Inês Jacques | Interpretação – Carlota Corte-Real, Filipe Pereira, Tiago Barbosa | Música – O Maquinista | Assistência de Direcção Artística – Pietro Romani
Desenho de Luz – José Manuel Rodrigues | Vídeo – Sérgio Cruz | Performer no Vídeo – Nick | Figurino da “Entidade Peluda” – Pedro Pedro | Produção – Zut! | Co-Produção – Festival Temps d’Images (pt) | Escola Superior de Dança (pt)| Parc de la Villette (fr) | Pépinières pour les Jeunes Artistes (fr) | Residências de Criação – O Espaço do Tempo (pt) | Parc de la Villette (fr) | Apoios Financeiros – Fundação Calouste Gulbenkian| Embaixada de Portugal em França