TEMPS D'IMAGES 2008
29 OUT > 17 NOV
   
         
   
         
   
         
   
         
   
 
   
 
 
alberto magno
PROGRAMA VIDEO DANÇA
   
 

Projecção de uma selecção de vídeo dança, por Alberto Magno, director do Festival Frame - Festival Internacional de Vídeo-Dança, uma iniciativa da Fábrica de Movimentos, e tem como objectivos promover e divulgar produções em vídeo-dança. O Festival Internacional de Vídeo-Dança vai na 7ª edição e é apresentado no Porto.

AIDSKILL | Alex Fischer
11’, The Nederland’s/Germany, 2005
Em honra ao Dia Mundial da Sida, Aidskills foi criada para relembrar aqueles que passaram esse vírus fatal. Esse vídeo traz consciência para as pessoas das consequências dessa doença.

TEXT FIELD | Chirstinn Whyte
1', Reino Unido, 2002
Uma sequência contínua de movimentos improvisados é traduzida para uma animação de base electrónica, com uma banda sonora gerada por um computador a partir do último frame da sequência.

TRALALA | Magali Charrier
3', Inglaterra, 2004
Uma produção Inglaterra/Canadá - co-produção apoiada pelo / co-production commissioned by Channel4 and BRAVO!Fact. Menção Especial no / Special Mention at The Alternativa Festival, Barcelona, Dec 2005. Prémio de Audiência do / Winner of the Audience Prize at the Moving Picture Festival, Toronto, Nov 2005. Vencedor do / Winner Prize at Cinedans, Amsterdam, July 2006.

TRACE | Chirstinn Whyte
1'', Inglaterra, 2005
O programa de composição Shake foi usado para dar visibilidade do único movimento padrão de um único performer que improvisou a sua passagem pelo frame do ecrãn.

LÁ OÙ JE DORS | Isabel Barros
7' 43'', Portugal, 2005
Para Isabel Barros, a matéria de Lá où je dors são os sonhos. O sono transforma a noite em possibilidade de sonho. E é o sonho, como um chamamento irresistível, misterioso e perigoso, que a coreógrafa escolhe para criar o espaço das imagens inconscientes, o espaço das personagens de um teatro interior e íntimo, alusivo, repetitivo, persistente e sem fim...

NO FLY ZONE | Né Barros
6' 40'', Portugal, 2005
Da viagem improvável e contínua chegamos a um lugar suspeito, à paisagem territorializada. Em No Fly Zone define-se uma área de interdição, um lugar vazio como tantos outros da vida na metrópole. Numa quase-instalação, é recriado um ambiente suspeito onde sujeitos-dinâmicos se substituem ao indivíduo psíquico, presenças conotam ausências e a acção é não-reacção.

MINOU | Magali Charrier
7', Super 8, Inglaterra, 2002
Prémio de / Award for the Best Screen Choreography, IMZ Festival, Monaco, Dec 2002
Apresentado no / Broadcast on Channel 4 e exibido internacionalmente / and toured internationally.

11B | António M. Cabrita
11', Portugal, 2007
O Tempo; O Espaço; Do Corpo “físico-real”.
Dois corpos; tensão forte... IIB ...55 80

ANIMALZ | Sérgio Cruz
3’20’’, Inglaterra, 2006
Animalz é uma curta metragem, na qual os 16 intérpretes entre os 8 e 14 anos da companhia de break-dance B3 Boys - Brighton Youth Dance Company, foram encorajados a revelar animalidade, nas suas energéticas performances.

KILLING AN ARAB | Sheila Ribeiro
3', Canadá, 2004
Projecto de vídeo-dança que reinterpreta uma das músicas da banda inglesa The Cure. Inspirando-se na estética pop e no tom do videoclip, mostra fantasias íntimas de violência tratadas com leveza, denegrindo assim a sua intensidade.

CARLOTA | João Galante
3'20'', Portugal, 2004/2007

ONE IN A MILLION | Nicole Seiler
9' 17'', Suiça, 2004
One in a million é um filme de dança que procura explorar os limites do corpo humano e reinventar a sua linguagem através das técnicas do vídeo. O trabalho expande as possibilidades coreográficas e a diversidade de movimentos em termos de ritmo, tempo e espaço.

SCANNER | Sérgio Cruz
9', Portugal, 2004

MOTION CONTROL | Liz Aggiss / Anderson Cowie
8' Inglaterra (Dance on Camera - USA), 2002
Uma velha e glamorosa intérprete!. Prenda-a no mundo real, e aperte-a na sua realidade privada. Controle seus movimentos, contenha sua emoção. Você pode tentar, mas ela já desfez tudo isto. Com uma super desperta consciência submeta-se a esta bizarra viagem a esta “prisão”.