TEMPS D'IMAGES 2005
6 > 16 OUT
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
     
 
 
ciclo arte #2
PROJECÇÕES
 

Le Rossignol (O Rouxinol) | Christian CHAUDET
2005, 48’
Co-produção: ARTE France, Agat Films E Cie, Mikros Image
A música de Stravinsky, o conto de Andersen, a voz de Natalie Dessay e as images em 3D, fazem deste filme um objecto raro, o que lhe valeu o Fipa d’Or 2005. Trata-se pois, de uma bela homenagem a Andersen por ocasião do bicentenário do seu nascimento.

Georgia. Le cœur volé (Georgia. O Coração Roubado) | Stefanie THIERSCH
2002, 27’
Produção : Film Acqua
Um policial poético, uma dança inspirada num poema de Philippe Soupault, datado de 1922.
Sobre o rio Sena, em Paris, um homem em cima de um barco escreve apaixonadamente palavras num pedaço de papel e depois atira-o à água. Sobre uma ponte, uma mulher sopra, e o seu sopro transforma-se numa violenta brisa…

Frankfurt dance cuts (Fragmentos de Dança Frankfurt) | Lutz GREGOR
2004, 26’
Produção: Köln Tagtraum, ZDF, ARTE
Quatro coreografias de antigos bailarinos do Ballet de Frankfurt.
Em “Kiki” (Alan Barnes), um homem sofre uma metamorfose e transforma-se em bailarino; Em “Iris” (Prue Lang), uma mulher copia os feitos e gestos de um desconhecido; Em “Meat Me” (Jone San Martin), uma mulher dança num matadouro; Em “Synapse” (Vanessa Le Mat), uma bailarina movimenta-se entre o salão de cabeleireiro e o supermercado.

Wolf (Lobo) | Alain PLATEL
2004, 130’
Produção: ZDF
Cães, sexo e karaoke, assim pode resumir-se o espectáculo de Alain Platel dedicado a Mozart. O encenador belga concebeu uma coreografia que junta canto, dança, acrobacias, paródia, violência, política e poesia: uma autêntica sinfonia de sentidos que raramente acontece no teatro.

Didon et Énée (Dido e Eneias) | Sasha WALTZ
2005,105’
Coprodução : ARTE, ZDF
A coreógrafa Sasha Waltz atreve-se na sua primeira produção fora da dança e cruza os géneros com a sublime ópera de Purcell, expoente da arte lírica inglesa.
Eneias, príncipe de Tróia, ao fugir da sua pátria conquistada pelos gregos é recebido na casa de Dido, rainha de Cartago. Apaixonam-se, mas apesar do amor ser recíproco, Eneias deixa Dido para cumprir o seu destino: fundar Roma. Abandonada, a rainha suicida-se de desespero.

Bill T. Jones, solos | Don KENT
2005, 26'
Coreografia e Interpretação: Bill T. Jones
Co-produção: ARTE France, Bel Air Media, On Line Productions
Quatro pequenas peças coreografadas e dançadas por Bill T. Jones.
Sozinho num estúdio o coreógrafo americano exprime violência, doçura e emoção ao longo destas quatro pequenas peças: “Ionization” (a partir de uma música de Edgar Varèse), “Chaconne” (a partir de um extracto de Partitura em ré maior para violino de J.-S. Bach) e “Tea for two”, a partir da célebre canção com o mesmo nome, aqui interpretada por Blossom Dearie, que inspirou a Bill T. Jones duas improvisações radicalmente diferentes.

Ma mère L´oye | Thierry de MEY
2004, 28'
Coreografia e realização: Thierry de Mey
Com: Anne Teresa de Keersmaeker, Jonathan Burrows, Iris Bouche, Erna Omasdottir, Sidi Larbi Cherkaoui, Damien Jalet, Samir Akika, Michèle Anne de Mey, Marco Paccagnella
Música: Maurice Ravel
Producão: Eroica Productions
Em 1908, Ravel compôs “Ma mère l’oye” bailado feérico povoado de ninfas adormecidas e de elfos saltitantes. Um século mais tarde, o coreógrafo e cineasta belga Thierry de Mey propõe a sua versão do conto. Filmado nas florestas dos arredores de Bruxelas, tem em cena cerca de sessenta bailarinos que, depois de escolherem para si uma personagem da lenda, executam solos, duos ou cenas de grupo.

Rugas | Rui HORTA e Marcus BEHRENS
2002, 26’
Coreografia: Rui Horta
Com: Annabelle Bonnéry, Bruno Heynderickx, Nicola Carofiglio et Volker Michl Sob o sol inclemente de Portugal, quatro bailarinos-actores contam uma história sem palavras. Primeira realização audiovisual do coreógrafo português Rui Horta, “Rugas” é a história de três amigos traumatizados por uma experiência comum.