NO PALCO // ESPECTÁCULOS

AINHOA VIDAL, YOLA PINTO, JOÃO PINTO, TERESA GENTIL, SARA FRANQUEIRA, RUI CATALÃO, TÂNIA M. GUERREIRO E OUTROS COLABORADORES // PROJECTO VIAGEM NA TERRA

SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL _ Jardim de Inverno | 22 NOV | 11h00 > 17h00
TEATRO-ESTÚDIO MÁRIO VIEGAS | 22 > 23 NOV | 11h00 e 16h00
// UMA VIAGEM NA TERRA – Dia de Abertura
22 NOV | 14h30 > 17h30

O projecto de espectáculos e oficinas Viagem na Terra é um convite para sentirmos através do nosso corpo o palpitar do planeta que habitamos. Para aprender a distinguir duas formas de nos relacionarmos com o nosso corpo e com o património natural do planeta: ou como um território de depredação, violência e destruição; ou como o local da nossa passagem pela vida, e que temos de cuidar, ou pelo menos não fragilizar.
Este “dia de abertura” não é apenas uma apresentação: trata-se também de escutar os nossos convidados, reunir ideias, criticas e sugestões, para que o projecto seja menos resultado de dogmas do que uma vontade de estabelecer um “sentido comum”.

 

A MONARQUIA INFANTIL // RUI CATALÃO

O uso dos termos príncipe e princesa para entronizarmos as nossas crianças banalizou-se na última geração. Como se já não bastasse o envelhecimento da nossa sociedade, a quebra demográfica e a proliferação de espaços concentracionários que expulsaram a infância da vida livre na rua (assim como uma pesada agenda de regras, actividades e obrigações curriculares e extracurriculares que lhes roubam boa parte do tempo livre), à infância foi também imposto o modelo de governação monárquico, que se caracteriza por um poder simbólico e por um fosso protector que separa as pessoas de acordo com classes e estatutos que pouco têm a ver com as dinâmicas entre a personalidade e as suas acções. As crianças ganharam um estatuto privilegiado: são especiais. Resta-lhes submeterem-se às expectativas, ou, perversamente, tornarem-se pequenos tiranos. Com todos os benefícios, privilégios e recompensas, o seu caminho parece ser mais solitário e vulnerável do que aquele que imaginámos ao “coroá-las”.
Com esta proposta, pretendo partir para um espaço de debate onde se possam trabalhar, em regime de laboratório, modelos de relacionamento. O objectivo é procurar entender o papel na educação do exemplo e do juízo moral, da partilha e da delegação de tarefas, da coerência e da contradição, da projecção e da ameaça, do castigo e da recompensa, do proteccionismo e do sentido crítico, da curiosidade e do medo, da ambição e do reconhecimento, da oferta e da partilha, do horizonte e da fronteira.
Se a educação delimita o território do conhecimento, quais são as áreas em que o nosso património é firme, aquelas outras em que pode ser negociado, e as restantes que estão ainda abertas à intuição e à descoberta?


// UMA LUZ NA TERRA _ Espectáculo para bebés
22 > 23 NOV | 11h00 e 16h00

AINHOA VIDAL, JOÃO PINTO, TERESA GENTIL, RUI CATALÃO
8 aos 24 meses // máx 10/15 bebés e respectivos acompanhantes

Quando o dia acorda aqui, ele adormece ali. Quando a noite aterra em ti, o galo canta para mim. Quando a terra bem no fundo treme, a baleia avisa com o seu canto; e quando ela treme por fora, as aves saltam ao vento. Quando as nuvens viajam no ar, a sombra aparece na cara; e quando deixam de ser impulsionadas pelo vento, o mosquito ataca a pele. Quando a sede alimenta a alma, a água intercepta os buracos e quando a luz está na terra tu estás aqui ao meu lado.

Uma luz na terra é um espectáculo onde os bebés, circulam no meio de imagens projectadas no chão, objetos são-lhes dados às mãos e as histórias são contadas aos ouvidos e dançadas junto deles. Um espectáculo onde o público é levado de maneira cinética à procura de uma verdade que está dentro das coisas e das suas formas, podendo mexer e reinventar a relação que temos com elas.
Um espectáculo dedicado aos bebés e a todos aqueles que conservem a sua pureza.

Coreografia e interpretação: Ainhoa Vidal | Vídeo: João Pinto | Música: Teresa Gentil | Espaço Cénico: Carla Martinez | Apoio espaço cénico: Ainhoa Vidal | Figurinos: Ainhoa Vidal | Apoio à dramaturgia: Rui Catalão | Desenho de Luz: João Cachulo | Produção e direção do projecto: Tânia M. Guerreiro | Produção: Produções Independentes | Coprodução: São Luiz Teatro Municipal e O Espaço do Tempo | Apoio: Eira, Festival Temps d’Images/Duplacena | Projecto Financiado pela Secretaria de Estado da Cultura / Direcção Geral das Artes | Agradecimentos: Carla Martinez, Rita Matias, Ana Rita Mendes